TEXTO
TEXTO
+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

CESMAC na lista das universidades privadas com mais docentes Mulheres

Instituição ocupa 5ª posição na representatividade de mulheres no quadro de professores

29/10/2019 às 18h33

Mulheres representam apenas 46% do total de docentes do Ensino Superior brasileiro, segundo dados do Censo da Educação Superior de 2018, divulgados pelo Ministério da Educação (MEC). 
Ao contrário do cenário de professores de outras etapas da educação brasileira, os números consultados pela Revista Quero mostram que mulheres são minoria na profissão quando o assunto é faculdade e universidade.
O estudo da TALIS (sigla em inglês para Pesquisa Internacional de Ensino e Aprendizagem), elaborado pela Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE), mostrou que nove em cada dez (90%) dos professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental são mulheres.

 

 

A representatividade feminina na profissão também é maioria nos anos finais do Ensino Fundamental (68% mulheres) e no Ensino Médio (60% mulheres).
Ao chegar ao nível superior, esse cenário se inverte. Somente 21 instituições privadas com corpo docente superior a 500 professores em exercício possuem mais de 50% de mulheres no cargo. De acordo com os dados do MEC, a maior taxa do país é da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP), de Salvador, que conta com 60% do quadro formado por professoras - 315 mulheres lecionam na instituição.
Outro destaque na lista é a Universidade Anhanguera Uniderp, de Campo Grande (MS). A instituição conta com 59,1% de mulheres em seu quadro. A terceira maior taxa (58,9%) pertence ao Centro Universitário de Maringá (UniCesumar), no Paraná. Em seguida, o Centro Universitário do Norte - UniNorte e o Centro Universitário CESMAC completam as cinco primeiras da lista, com taxas de 56,8% e 55,6%, respectivamente. 

 

Segundo mostra estudo do Ministério da Educação - MEC divulgado pela Revista Quero, o CESMAC apresenta em seu quadro docente, cerca de 330 professoras, o que representa aproximadamente 55,5% do número total de professores.
Em números absolutos, a Universidade Paulista (Unip) é a que possui mais professoras em seu quadro, com 2.836 mulheres na docência. Esse dado representa uma taxa de 48,2% dos professores. A segunda instituição privada com mais educadoras é a Universidade Estácio de Sá: 1.174 professoras, taxa de 46,9% do total. Em seguida, a Universidade Nove de Julho (Uninove) possui 1.087 mulheres na docência (45,7%).
Fonte: Revista Quero