TEXTO
TEXTO
+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

A relação entre agrotóxicos e problemas de saúde

Estudo de pesquisadora do CESMAC, Aldenir Feitosa, foi apresentado no Programa de Pesquisa para o SUS

26/04/2018 às 13h35

A pesquisadora Aldenir Feitosa, do Centro Universitário CESMAC, apresentou o resultado parcial da sua pesquisa “Avaliação da ação dos agrotóxicos no homem e no ambiente”, na II Sessão Científica de 2018 do Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS). O encontro foi realizado nesta quinta-feira, 26, no auditório da Gerência de Atenção Primária da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) em Jaraguá.
A pesquisa investigou os efeitos do uso de agrotóxicos entre agricultores das cidades de Arapiraca, Limoeiro de Anadia e São Sebastião. “Já conseguimos identificar problemas nas funções renais e hepáticas desses trabalhadores. Esse estudo é essência para o entendimento do mecanismo dos problemas causados e como podem ser evitados”, explicou a pesquisadora, que também é professora dos cursos da área de Saúde e coordenadora da Pós-graduação Stricto Senso do CESMAC.
O encontro contou com representantes de diversos setores além da Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) como o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), vigilância ambiental, Conselho Estadual de Saúde e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems).  O pró-reitor Acadêmico Adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação, Prof. Dr. Giulliano Anderlini, também participou do encontro científico.
De acordo a assessora de supervisão de ciência e tecnologia e telessaúde, Fátima Lima, a pesquisa faz parte dos trabalhos aprovados pelo PPSUS em 2016. “O PPSUS tem atuado em diversas áreas do conhecimento sempre com a saúde e bem estar dos usuários do SUS como norteadores dos estudos”.
Fátima salientou, ainda, que o investimento em pesquisa científica é o melhor caminho para evolução da assistência prestada à população alagoana. “Com estudos realizados dentro da realidade e desafios de nosso Estado, podemos criar novas técnicas e produtos capazes de promover avanços efetivos para toda a rede de assistência à saúde”, reforçou.
No dia 22 será realizada uma reunião na sede do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) para que sejam discutidas ações para proteção dos trabalhadores expostos aos agrotóxicos com base nos dados levantados pelo estudo.
Com informações da assessoria da Sesau e fotos de Olival Santos